26 de fevereiro de 2020 | Artigos

Por que muitas pessoas odeiam os veganos?

Se você é vegano como eu, já deve ter passado pela seguinte experiência: acabou de conhecer uma pessoa, ela descobre logo em seguida que você é vegano e faz careta (como se dissesse: já não gostei de você).

Tenho certeza que muitos de vocês se identificaram com a situação acima. Mas, afinal, por que isso acontece se essas pessoas nem ao menos nos conhecem para ter qualquer tipo de julgamento?

Hank Rothgerber, psicólogo social da Universidade Bellarmine (EUA), quer saber quais processos inconscientes estão envolvidos nesse preconceito com os veganos.

O que ocorre, segundo ele, é que esse preconceito não é racional, pois, se pararmos para pensar e segundo estudos, comer carne (espacialmente a vermelha) aumenta muito as chances de uma pessoa ter câncer e ter uma morte prematura. Quem quer isso? Imagino que ninguém.

Paradoxo da Carne

Para continuar comendo carne, a pessoa precisa fazer um exercício contra o “Paradoxo da Carne”, que é quando se cala a voz da razão.

A dissonância cognitiva acontece quando uma pessoa tem duas visões incompatíveis ao mesmo tempo, por exemplo achar coelhos uma fofura e logo em seguida jantar um ensopado de coelho com molho de cenoura e batata. Isso é chamado por psicólogos de “paradoxo da carne” e também de “esquizofrenia moral”.

Mas, ao invés de mudarmos um comportamento, usamos estratégias – cerca de 15 – para ignorar esse paradoxo. Uma delas, a mais conhecida de todas aliás, é fingir que a carne não tem ligação alguma com animais. Como se aqueles animais viessem de um lugar cheio de felicidade ou fossem abatidos de “maneira humanitária”.

Quando as pessoas conhecem e interagem com veganos, elas são obrigadas a terem contato com este paradoxo, e isso causa um grande desconforto.

Estudo

Um estudo da Universidade de Pensilvânia (EUA), conduzido pela psicóloga Julia Minson, orientou que os participantes do estudo escolhessem três palavras que definem veganos. Entre eles, 45% escolheram adjetivos que têm a ver com características sociais, como “arrogante”, “enfadonho”, “militante”, “tenso” e “estúpido”.

Uma das explicações para este comportamento é que as pessoas se sentem particularmente ameaçadas por outras que têm moral parecida, mas que de fato tomam mais ações para lutar por seus ideais. O medo de ser julgado supera qualquer respeito que poderia existir pela integridade alheia.

Um grupo que pode se sentir ainda mais julgado pelos veganos é do de ovo-lacto-vegetarianos: “eles concordam que está errado criar e explorar animais para alimentação e agora encaram alguém que age mais para lutar contra isso do que eles mesmos”. Isso, de acordo com Benoit Monin, psicólogo da Universidade Stanford envolvido no estudo.

Motivos

Por outro lado, o estudo mostrou que há mais tolerância quando um vegano justifica sua escolha por algum motivo, como por exemplo, “eu cresci em uma fazenda e fiquei traumatizado ao ver animais sendo mortos”. Um onívoro (pessoa que come carne) que também gosta de animais e sente empatia por eles pode pensar “bom, eu não cresci em uma fazenda, não posso replicar esta experiência, portanto estou moralmente dispensado para comer o que eu quiser”.

É por isso que onívoros se irritam ainda mais com veganos que dizem ter adotado esse estilo de vida por motivos éticos, do que quando comparado com uma justificativa, como por exemplo, a saúde, já que terão que encarar novamente o Paradoxo da Carne.

É claro que nem todo mundo nos odeia por sermos veganos, mas como eu já passei por isso e conheço MUITOS veganos que também já foram odiados apenas por serem veganos, achei legal mostrar esses estudos para você refletir se não está usando uma justificativa aleatória, para não lidar com algo que é mais uma questão interna, do que um “ódio” pelos veganos.

Fonte: BBC

Assine Newsletter do Veguia e fique por dentro das notícias do universo vegano! Clique aqui para assinar, não leva mais que um minuto!